Crise existencial.

Existir no mundo pode ser ótimo, mas pode ser bem chato também.

Temos praias e Netflix no mesmo mundo em que temos injustiça e rúcula.

Tais ambiguidades inerentes à existência podem nos deixar não só pensativos, mas até mesmo angustiados. Hoje, falaremos sobre as grandes preocupações existenciais dos humanos. Existem fatos inerentes à existência humana com os quais você vai se deparar uma hora ou outra. Esses fatos levam muitas vezes as pessoas à crises existenciais. Perguntas como “quem sou eu?” ou “qual é o sentido da vida?”  vêm sendo repetidas provavelmente desde que nos tornamos capazes de fazê-las. Existem cinco principais preocupações existenciais com as quais lidamos ao longo da vida, sendo elas as da morte, do significado da vida, do isolamento, da identidade e da liberdade. Todas elas resultam do embate entre nossas motivações humanas básicas e a realidade complicada e ambígua na qual vivemos. O surgimento da consciência humana foi um passo importante na evolução da inteligência. Só que ao mesmo tempo em que a inteligência e a consciência nos ajudaram a resolver alguns problemas, elas também nos trouxeram outros novos. Se você tem consciência de que é uma pessoa e sabe que as pessoas morrem, então você sabe que um dia irá morrer. Isso pode gerar uma boa dose de angústia, já que somos ao mesmo tempo seres vivos predispostos a fazer de quase tudo pra sobreviver e conscientes de que a morte é inevitável. De acordo com a teoria do gerenciamento do terror, as visões de mundo compartilhadas em uma cultura servem principalmente para aliviar a ansiedade resultante da certeza de morte futura. Várias pesquisas indicam que as pessoas tendem a se apegar mais ainda às suas visões de mundo quando são lembradas de que morrerão um dia. Além da morte, outra preocupação existencial é a do significado da vida.

Ela resulta da nossa necessidade básica de entender e explicar o que acontece nas nossas vidas. Por isso também que gostamos quando nossas crenças sobre o mundo são apoiadas pelos outros. O problema de ser motivado a sentir que você está certo sobre o seu entendimento da vida é que pode ser difícil manter muitas certezas sobre uma realidade tão incerta e nem sempre tão fácil de entender ou explicar. O isolamento é outro fato inevitável da existência. Você nunca saberá exatamente como é ser outra pessoa e ninguém nunca terá acesso direto à sua experiência de ser você. É como se fossemos nossas próprias ilhas, as quais os outros só acessam indiretamente e imperfeitamente. O problema aqui é que somos predispostos biologicamente a buscar a conexão com os outros em uma realidade que nos leva invariavelmente ao isolamento. Claro que outras pessoas podem te conhecer bem e se conectar com você, mas, no final do dia, é cada um no seu quadrado. Finalmente, nossas necessidades de entendimento da realidade e autonomia podem nos levar às preocupações existenciais de identidade e liberdade. A primeira está ligada à dificuldade de entender com precisão quem nós somos; a segunda, com ameaças à nossa sensação de liberdade. Seja qual for a preocupação existencial em jogo, ter uma crise existencial não significa algo  necessariamente ruim.

Pode significar apenas que você é um ser pensante em busca de sentido para a sua vida assim como outras pessoas. Também pode querer dizer que você está passando por uma fase difícil na sua vida. Crises existenciais são muitas vezes temporárias e parte normal do desenvolvimento de todas as pessoas.

Você pode enfrentar uma crise existencial sozinho, mas você também pode contar com a ajuda de um psicólogo para lidar com a angústia que as suas preocupações existencias estão lhe causando.

https://psicologaemcuritiba.com/